Arquivo do mês: outubro 2015

Balmain e sua história até o atual fenômeno Olivier Rousteing

A Maison Balmain, foi fundada em 1945, por Pierre Balmain, depois de trabalhar com Lucien Lelong e Molyneax, a Maison atendia ao público de extremo luxo da época.

1965 - Pierre Balmain por Reg Lancaster

1965 – Pierre Balmain por Reg Lancaster

Formado em arquitetura, Balmain costuma dizer que “criar roupas é a arquitetura do movimento”.
Pierre lançou saias acinturadas e compridas, criou roupas que chegaram a ser luxuosas demais o que atraiu admiradores da nobreza, Balmain tornou-se estilista exclusivo da Rainha Sirikit da Tailândia e vestiu diversas celebridades como Brigitte Bardot, Marlene Dietrich, Katherine e Audrey Hepburn.

Brigitte Bardor usando um modelo criado por Pierre Balmain

Brigitte Bardor usando um modelo criado por Pierre Balmain

1960 - Rainha Sirikit usando Balmain

1960 – Rainha Sirikit usando Balmain

Foi o pioneiro do prêt-à-porter, conseguiu adaptar a silhueta francesa de suas roupas para as americanas, onde abriu filiais em 1951, foi figurinista de 16 filmes e chegou até a criar uniformes para aeromoças.
Pierre sempre utilizou cores claras, peles nas extremidades das roupas, e marcou seu estilo com estolas e paletós por cima de vestidos justos.

1951 - Jeanine Holland e Pierre Balmain

1951 – Jeanine Holland e Pierre Balmain

   Ao que essa história de celebridades, marca luxuosa, holofotes se assemelha? Ao atual estilista de sua Maison.
Após a sua morte, em 1982, a Balmain passou por Erik Mortensen, seu braço direito, Oscar de la Renta por 12 anos e Christophe Decarnin de 2002 até 2011 até chegar nas mãos do atual diretor criativo: Olivier Rousteing.
   Chegamos ao foco: Olivier Rousteing.
Francês, jovem, adotado, negro, lindo, facilmente confundido com algum modelo nas diversas selfies suas que circulam com suas celebridades, amigas preferidas.

Olivier Rousteing

Olivier Rousteing

Fenômeno, talvez este seja o adjetivo adequado para Rousteing que fez da Maison Balmain e suas roupas motivo de desejo mundial, além de promover um auto-marketing incrível em seu trabalho desde 2011.
Formado pela ESMOD em 2003, começou a sua carreira como assistente de designer na Roberto Cavalli, tendo de se mudar para Itália, onde ficou por seis anos até voltar para Paris como assistente de Decarnin.
De acordo com o próprio Rousteing o seu período como assistente na Cavalli, o ensinou a ser comercial, ‘a Cavalli é um império enorme, onde você tem tudo o que quer em poucos dias’, disse Olivier. Além do comercial, a moda italiana o ensinou a ser arrojado e reativo, sobre ter de fazer muitas coleções por ano, porém que não aprendeu sobre bom gosto, Rousteing não aprovava o que Roberto Cavalli fazia, gostava mais do passado da marca.
Em 2009 Rousteing entrou para a Balmain e com 25 anos em 2011 ele assumiu a marca, como diretor-criativo.

Primeira coleção de Rousting como diretor criativo da marca, Spring Summer 2012, Olivier mixou o estilo mexicano com o glamour de Vegas

Primeira coleção de Rousting como diretor criativo da marca, Spring Summer 2012, Olivier mixou o estilo mexicano com o glamour de Vegas

Suas amizades com a realeza Holyoodiana o ajudaram a ter o status de “designer que todos querem na discagem rápida”, pessoas de fora da industria fashion começaram a prestar atenção nele, graças a sua proximidade com Kim Kardashian e Kanye West, que inclusive estrelaram uma campanha da Balmain no ano passado e sempre estão presentes na “front row” de seus desfiles.

Intitulada como

Intitulada como “Balmain Love” a campanha de menswear foi estrelada pelo casal West

Além da relação com o casal West, Rousteing tem uma proximidade com o outro lado da família: as Jenners, que também vieram a estrelar sua campanha das irmãs supermodels: Kendall, Kylie, Gigi, Bella Hadid junto com Erika e Joan Smalls.

Campanha Outono Inverno 2015 - Sisters Campaign

Campanha Outono Inverno 2015 – Sisters Campaign

Todo esse marketing que os novos rostos da grife, fora as supermodels do momento além das Victoria’s Secret Angels, Cara Delevinge, Joan Smalls, Jourdan Dunn, fez com que toda garota quisesse fazer parte do chamado “Balmain Army”. É incontável a lista de celebridades que vestem as criações de Olivier Rousteing podemos citar algumas: Jennifer Lopez, Beyoncé, Rihanna – amiga pessoal de Olivier – e Jane Fonda.
Olivier chegou a um patamar que talvez só podemos comparar com o fenômeno que Gisele é para as modelos e Testino para os fotógrafos de moda – na atualidade.

Ele sempre tem os nomes mais cobiçados desfilando em seus desfiles, depois de brilhar na semana de moda de Paris, com o desfile aberto pela brasileira Carol Ribeiro, foi a vez da sua coleção para a H&M, a colaboração mais esperada do ano “Balmain x H&M” e mais uma vez sua “army” estava completa no desfile em Nova York.


Como grande parte das roupas da Balmain, sua linha para a H&M não poderia ser diferente, muitos bordados, pérolas, o estilo que Rousteing trouxe para a Balmain, fora a sua pegada asiática em diversos bordados e estampas, porém com o mesmo ar sexy e rock de sempre.

Coleção cápsula Balmain para H&M

Coleção cápsula Balmain para H&M

Balmain x H&M

Balmain x H&M

Balmain x H&M

Balmain x H&M

Com todas as suas amizades, influências e talento indiscutível, Olivier Rousteing, assim como seus clientes, celebridades e amigos possui uma legião de 1,5 milhões de seguidores no intagram. Já a Maison para a qual trabalha possui impressionantes 2,6 milhões, fazendo da Balmain a número um das casas francesas em seguidores, sendo a única a ultrapassar o um milhão.
O talento de Rousteing é gigantesco como designer, mas é inegável o seu poder de marketing pessoal e marketing para a marca, obviamente isso fez o faturamento da maison aumentar desde que ocupou o cargo de diretor criativo e assim será enquanto Rousteing manter seu ciclo super exclusivo e feeling incrível.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em alta costura, brasil, campanhas, celebridades, comércio online, desfiles, desfiles internacionais, estilista

MAIS UM: Albert Elbaz deixa a maison francesa Lanvin

Alber-01-1800  Nessa última semana não há espaço para pensar em algo criativo, diferente para vocês leitores, como todo bom site-blog de moda, devemos lhe passar a atualidade do setor, e no momento são as saídas dos estilistas de grandes maisons. Depois de Wang deixar a Balenciaga, Raf Simons a Dior, Albert Elbaz está deixando a Maison Lanvin.

Sou uma grande fã, não apenas de seu trabalho, como de Albert pessoa – acho ele extremamente fofo, carismático e ele parece um desenho animado. Judeu, nascido em Marrocos, mudou-se para Tel-Aviv já adulto, formado pelo Instituto de Engenharia e Design Shenkar, foi para Nova York, onde trabalhou com Geoffrey Beene por sete anos. Passou pela Guy Laroche, recebeu a medalha de Cavaleiro de Legião de Honra, foi para a Yves Saint Laurent, permaneceu por três anos até chegar a Maison francesa Lanvin, onde ficou por 14 anos, até hoje.

Albert Elbaz

Albert Elbaz

Com a saída catastrófica, bombástica – como preferir chamar – de Galliano da Dior em 2011, por comentários antissemitas – que ironia – em um café de Paris, Albert Elbaz chegou a conversar com os responsáveis da marca para uma possível contratação, mas voltou atrás por possuir ações da Lanvin. A saída de Albert Elbaz da marca, dá-se a um desentendimento com a dona da mesma, Shaw-Lan Wang.

Muitos estão dizendo que será Elbaz o substituto de Raf Simons.

Um comunicado oficial ainda não foi publicado, será nos próximos dias.

As perguntas do momento são:

1 – Será que Albert Elbaz está mesmo indo para a Dior?

2 – Quem será o novo diretor criativo da Lanvin?

Particularmente fiquei triste com a notícia, eu vivia brincando com a minha mãe, quando era menor, que minha velhice seria em Paris, vestida de Lanvin.

Albert Elbaz

Albert Elbaz

As caricaturas de Albert Elbaz para a colaboração da Lanvin com a H&M

As caricaturas de Albert Elbaz para a colaboração da Lanvin com a H&M

Deixe um comentário

Arquivado em alta costura, beleza, comportamento, desfiles internacionais, designers

NYFW SPRING SUMMER 2016

Hoje pelo final da manhã quando eu estava indo almoçar, recebi uma mensagem no WhatsApp. Nessa mensagem, um grande amigo, dos tempos de escola me perguntou o seguinte: “Site de pesquisas de tendências, desfiles, bom”, exatamente assim, afinal somos amigos, a formalidade não é necessária.

Em primeiro lugar, respondi o seguinte “Penso Moda Fanny Littmann”, afinal temos que fazer a propaganda do que é nosso, comentei sobre meu post de ontem e o informei sobre este post de hoje.

Obviamente, eu poderia ter citado os sites que dominam esse conteúdo, como Vogue Runway, antigo Style, Vogue Magazine, Elle UK, WWD, FFW… Esta lista imensa de informantes assíduos de moda, fora a quantidade de usuários de instagram, pinterest, twitter que eu poderia ter lhe dado.

Mas algo me chamou a atenção, ele me perguntou justamente sobre o que eu ouvi ontem “tendência”. Ontem rolando minha timeline do facebook, vi um vídeo da jornalista Gloria Kalil, falando sobre o que todos estavam ansiosos para ouvir, qual seria a nova tendência do inverno 2016.

Agora voltando do meu almoço, no caminho até em casa fiquei pensando, o que realmente é tendência?

 De acordo com o dicionário:substantivo feminino
 1. aquilo que leva alguém a seguir um determinado caminho ou a agir de certa forma; predisposição, propensão.
   “t. para o alcoolismo”
 2. disposição natural; inclinação, vocação.
   “t. para a pintura”

Sejamos realistas, cada estilista segue um caminho diferente.

Especificamente falando dos desfiles de Nova York, desta temporada, cada critico, jornalista, blogueiro, comprador, tem um gosto por determinado estilo. Há muito tempo deixou de existir apenas uma tendência, quando em num mesmo verão temos uma mulher que usa jeans rasgados com tênis vulcanizados de caixa alta ao lado de outra que está com um vestido comprido e gladiadoras, no melhor estilo que o boho pode oferecer.

A tendência tornou-se pessoal. Claro, verão é sinônimo de calor, galdiadoras, rasteiras, rasteiras com plataformas estilo creepers e sneakers! Muitos sneakers! Estamos no século da tecnologia do conforto e falando de Nova York! Estamos falando de Red Valentino a Diesel Black Gold fazendo sneakers, cada um na sua essência, mas não deixando de ir para a passarela de tênis, vemos uma forte pegada esportiva em diversos sapatos, não, não são todas as marcas que desfilaram tênis, mas a sua grande maioria possui pelo menos um modelo no mix, ah e os sapatos de salto? Continuam lá, firmes e fortes como sempre – esses nunca sairão.

Alexander Wang - Transparência, fenda, esportivo

Alexander Wang – Transparência, fenda, esportivo

Alexander Wang - Esportivo com transparência

Alexander Wang – Esportivo, transparência

Lacoste - Esportivo, laranja, sexy, sneaker

Lacoste – Esportivo, laranja, sexy, sneaker

Lacoste - Golinha em vestido vazado de pegada esportiva, sobreposto com trench de nylon

Lacoste – Golinha em vestido vazado de pegada esportiva, sobreposto com trench de nylon

Lacoste - Masculino com transparências

Lacoste – Masculino com transparências

Public School - Esportivo, recortes geométricos, transparência, acabamento em laranja na saia

Public School – Esportivo, recortes geométricos, transparência, acabamento em laranja na saia

Altuzarra - Laranja, fenda

Altuzarra – Laranja, fenda

Karen Walker - Laranja, recorte sexy

Karen Walker – Laranja, recorte sexy

Jeremy Scott - Super sexy, laranja

Jeremy Scott – Super sexy, laranja

Karen Walker - Sobreposição, laranja

Karen Walker – Sobreposição, laranja

Diesel Black Gold - Sneaker Branco

Diesel Black Gold – Sneaker Branco

Diesel Black Gold - Sneaker Yatch Branco

Diesel Black Gold – Sneaker Yatch Branco

Jonathan Simkhai - Sneaker Branco

Jonathan Simkhai – Sneaker Branco

Kate Spade - Sneaker Floral

Kate Spade – Sneaker Floral

Rag & Bone - Sneaker Branco

Rag & Bone – Sneaker Branco

Alexander Wang - Sneaker Branco

Alexander Wang – Sneaker Branco

Givenchy - Chanel, esportivo, com cadarço

Givenchy – Chanel, esportivo, com cadarço

Givenchy - Chanel, esportivo, com cadarço

Givenchy – Chanel, esportivo, com cadarço

Alexander Wang - Sandália com sola reta

Alexander Wang – Sandália com sola reta

Red Valentino - Transparência e sneaker off-white

Red Valentino – Transparência e sneaker off-white

Rag & Bone - Gladiadora, de sola reta

Rag & Bone – Gladiadora, de sola reta

Vera Wang - Clog, sola tratorada branca

Vera Wang – Clog, sola tratorada branca

Vemos muito preto como sempre, ele está presente, no verão, na primavera, no inverno, no outono, no verão de novo… Assim como o branco, mas falando de verão acho que chega a ser engraçado falar de florais, florais no verão é quase uma obrigação. Há uma grande ‘pegada’ para os tons mais abertos como laranjas, vermelhos mais vivos e amarelos, muitos recortes nas roupas, geométricos e aberturas que carregam um ar mais sexy para a mulher. Ombros a mostra e terrosos. Metalizados como specchio no clássico modelo rasteira da Prada. Vale de cada um mixar essas informações da melhor maneira.

Não posso finalizar o post de outra forma, senão, falando da tendência tênis branco.

Desde de 1969 a percursora do tênis branco, Adidas, fez milhares de fãs de seu clássico do basquete, o Adidas Superstar. No ano passado, sua presença é mais gritante, vê-se uma febre dos tênis brancos dominando as ruas das cidades mais importantes do mundo da moda, para você meu caro, que está sedento pela tal tendência do momento, aposte nesta: tênis branco. Seja ele o Stan Smith, o Adidas Superstar, o Alexander Wang da temporada ou o Rag & Bone, mas lembre-se: o Superstar realmente é um SuperStar. Inspire-se!!!

Deixe um comentário

Arquivado em calçados, calçados masculinos, comportamento, desfiles, desfiles internacionais, designers, estilista

Raf Simons, Suzy Menkes e STREETSTYLE: NYFW SPRING-SUMMER 2016

  Desculpem a demora, o post do dia ficou para a noite. Na realidade, hoje foi um dia em que pensei muito sobre o que postar, procurei novidades, andei em círculos e digamos que nada poderá chegar ao nível da notícia mais bombástica – e triste – da semana passada, a saída de Raf Simons da Christian Dior.

  Talvez a semana tenha começado com um buraco no centro do Fashion World, depois da matéria de Suzy Menkes, os compartilhamentos dela, fiquei pensando muito se falaria disso ou não. Resposta: impossível não comentar sobre isso.

  Mas onde isso se relaciona com Street Style, Veronique? A saída de Raf Simons em si, nada, mas o texto de Menkes sim.

  A jornalista deu ênfase para as redes sociais, a sua contribuição para o aceleramento da informação e consequentemente  o que elas fizeram com o setor de moda: o setor inteiro mudar o seu calendário mais uma vez.

  O streetstyle é postado instantaneamente. Chegamos ao momento que o famoso ‘Miojo’ demora. Postar uma foto no Instagram, fazer um painel no Pinterest, escrever um texto a la Clarice Lispector no Facebook, fazer um Big Brother da sua vida pessoal, profissional, total no Snapchat se tornou prioridade e mais rápido do que fazer funções que antigamente eram as mais fáceis, talvez nem isso, talvez a internet, a rede tenha se tornado a prioridade na vida de milhões de pessoas.

  Mas Veronique, porque o streetstyle? Porque o Streetstyle virou vitrine, virou dinheiro, virou desejo, é trend, é glam, é top.

  Como não gosto do título “melhores looks de street style”, apenas dou ênfase as fotos e aos meus looks preferidos. Bem particular, afinal todos temos gostos diversos e é isso que faz a moda linda do jeito que é.

IMG_4369 IMG_4368 IMG_4367 IMG_4366 IMG_4365 IMG_4364 IMG_4363 IMG_4362 IMG_4361 IMG_4360 IMG_4359 IMG_4358 IMG_4357 IMG_4356 IMG_4354 IMG_4353 IMG_4352 IMG_4351 IMG_4350 IMG_4349 IMG_4348 IMG_4347 IMG_4346 IMG_4345 IMG_4344

Deixe um comentário

Arquivado em alta costura, beleza, celebridades, comércio online, designers, estilista

Saint Laurent – Surf Sneaker

Saint Lauren - Surf Sneaker

Depois de um editorial maravilhoso para a Sense Magazine, um desfile incrível na PFW, onde Hedi Slimane introduziu botas de chuva na passarela, chegou a vez dos sneakers parte da Surf Sound Collection, de Saint Laurent.

Saint Lauren - Surf Sneaker

Saint Laurent – Surf Sneaker

Uma coleção desenhada em Los Angeles que oferece sneakers em off-white com cano médio ou baixo, montada em couro de bezerro antigo ou lona de algodão sob uma sola vulcanizada com o detalhe – cereja do bolo – na assinatura Saint Laurent Paris em alto-relevo, para finalizar. Fora isso, cada par, além de conter o seu cadarço, vem com mais um par de cadarços.

Saint Lauren - Surf Sneaker

Saint Laurent – Surf Sneaker

Ainda não se sabe ao certo a data de lançamento, mas sabemos que o preço do Surf Sneaker iniciará em $395.

Saint Laurent 1

Saint Laurent – Surf Sneaker

Saint Lauren - Surf Sneaker

Saint Laurent – Surf Sneaker

Saint Lauren - Surf Sneaker

Saint Laurent – Surf Sneaker

Deixe um comentário

Arquivado em calçados, calçados masculinos, desfiles, desfiles internacionais, desfiles masculinos, designers, editoriais, estilista

O que ninguém esperava: Raf Simons deixa a Maison Christian Dior

Raf Simons - Exits Dior

  Chegou ao fim a parceria de Raf Simons com a Dior, depois de três anos e meio de sucesso e modernidade para a maison, Raf Simons decidiu se desligar da Dior, por razões pessoais, a coleção Primavera-Verçao 2016, apresentada no pátio do Louvre, foi sua última.
A separação foi amigável para os dois lados, após a marca e o designer não chegarem a um consenso para um novo contrato, sucessor de Raf Simons ainda será escolhido, com a saída Raf Simons declarou, “Depois de um período de consideração e cuidado, eu decidi deixar minha posição como diretor criativo da coleção feminina da Christian Dior. É uma decisão baseada inteiramente no meu desejo de focar em outros interesses da minha vida, incluindo minha própria marca, e as paixões que me levam para fora do meu trabalho. Christian Dior é uma empresa extraordinária, e tem sido um privilégio imenso escrever algumas páginas desse magnifico livro. Eu quero agradecer ao Sr. Bernard Arnault pela confiança que ele depositou em mim, me dando a grande oportunidade de trabalhar nessa casa maravilhosa cercada pela mais incrível equipe que eu poderia sonhar em ter. Eu também tive no último ano a chance de ser beneficiado com a liderança de Sidney Toledano. O seu pensamento, feeling e administração inspiradora irão me lembrar como uma das mais importantes experiências da minha carreira profissional.”
Em resposta, Bernard Aranult, chairman e chefe executivo do grupo LVMH Moet Hennessy e Sidney Toledano, CEO da Dior Couture, disseram que “reconhecem a decisão de Raf Simons, e sinceramente o agradecem pela sua contribuição excepcional para a casa.”
Quando foi contratado em 2012 depois de cinco anos na Jil Sander, a Dior colocou Simons como um dos grandes talentos atuais, que iria lançar o icônico estilo Dior no século 21. Em seus 3 anos e meio na Christian Dior, foi permitido que Simon colocasse a sua preferência para o minimalismo e futurismo, uma reviravolta no retro glamuroso que Galliano implantou em torno de 15 anos na casa. Raf Simons fez com que a grife aumentasse suas vendas em 60%, a decisão do estilista já havia sido tomada mesmo antes do último desfile da Dior no dia 2 de outubro, mas até agora o CEO, Toledano e Arnault, estavam tentando Simons a mudar de idéia.
A pergunta é: Quem será o próximo designer a frente de uma das marcas mais importantes de todos os tempos?

Dior Spring-Summer 16

Dior Spring-Summer 16

Raf Simons final do desfile Dior Spring-Summer 16

Raf Simons final do desfile Dior Spring-Summer 16

1 comentário

Arquivado em alta costura, desfiles internacionais, designers, moda

Alexandre Herchcovitch Inverno 2016 – 20 anos de genialidade

                                                                    IMG_9168

Alexandre Herchcovitch abriu no domingo, o SPFW20 anos na prefeitura da cidade de São Paulo num desfile memorável e cheio de considerações.

O hall da prefeitura tinha três  setores, aqui já observa  o expertise em fazer desfiles disputados e a enorme consideração com seus convidados acomodando mais filas A e B que privilegia o olhar no caminhar das modelos e looks proximos aos nossos olhos com a sensação de que podemos tocar.

O tema do desfile de acordo com as resenhas e releases é uma história de boudoir sobre amor e perda, perversão, sexo e poder. O que mais me espanta é todas as considerações ao desfile focarem numa exaltação ao DNA Herchcovitch da subversão criativa, algo que independe de cartela de cores, materiais, tema ele sempre fez e fará em sua marca, afinal DNA é isso, transformar, dobrar, vincular e principalmente evoluir as caracteristicas únicas que se fazem perceptiveis a uma marca. Enfim Alexandre Herchcovitch é sempre Alexandre Herchcovitch desde o seu começo e sua jornada evolutiva.

Os looks, maquiagem, óculos, cenografia temos  a leitura deste link,da plataforma do FFW, que vale muito a pena ver.

Aqui vamos falar sobre calçados. Sempre é um privilegio ver os calçados do desfile Herchcovitch, e nesses  20 anos foram muitas as vezes que fiz os calçados e outras como esta temporada que estava na primeira fila para ver e sim, ficar sempre feliz com o poder de criação da marca.

Criar nos dias de hoje é muito complexo pois sempre nos dá a sensação de já ter visto, mas o conhecimento e a memória norteiam, balizam o aqui e acolá do novo.

IMG_9220


 A construção da bota é na realidade uma meia anexada a uma sandália, aqui vemos sobreposição de traseiros calcanhar e das tiras da sandália no peito do pé.

As botas foram ricamente mixadas em materias foscos, brilhantes, pêlos e estampa digital pied poule.

IMG_9225

Destaque para solado e salto. O salto é palito muito encaixado na base do calcanhar o que dá a impressão de estar quebrado. Para sustentar uma sola alta tratorada, detalhe importante a bota-meia tem meia pata interna.

Claro que é um calçado complexo, não é para qualquer um criar e nem parra qualquer um executar, mas o grupo Arezzo sempre sabe o que fazer para virar realidade um sonho criativo da sock boots.

IMG_9224

Durante esses dias acompanhei instas, faces, snaps e algo fica claro que muitas consumidoras gostariam de adquirir a versão original e suas possiveis interpretações: salto mais baixo, outras cores, só a sandália, etc…Teremos a original do desfile a venda na loja em SP Herchcovitch: Alexandre.Mas aqui fica um pouco da minha tristeza em eternamente fazer sapatos criativos, únicos para toda uma gama de designers brasilerios e não ver  a continuidade das interpretações para o varejo como vemos das griffes internacionais e seus negócios. Por outro lado vem a esperança temos ainda muito o que caminhar, desfilar e apostar.

Obrigada a toda equipe Herchcovitch,  sua atenção e consideração para comigo e claro, meu muito obrigada por continuar, continuar, continuar a jornada criativa sem igual da sua marca Alexandre Herchcovitch, é para poucos e muitas vezes cansa, mas vale a pena sempre!

DIREÇÃO CRIATIVA:  Alexandre Herchcovitch
EDIÇÃO E STYLING: Mauricio Ianês
BELEZA: Celso Kamura (cabelo) e Robert Estevão (maquiagem)
DIREÇÃO DE DESFILE: Roberta Marzolla
TRILHA: Max Blum
MARKETING: Daniel Raad
ESTILO: Antonio Gomes

1 comentário

Arquivado em Sem categoria