Gucci: saída da diretora criativa Frida Gianini

36ty533h8i_4vows6weit_file

Frida Giannini  a diretora criativa da marca Gucci se desligará da grife icônica italiana em  25 de fevereiro de 2015, logo após o desfile INVERNO 2015.

Frida é responsável pelo estilo Gucci a oito anos mas esta na grife italiana desde 2002; em 2004, assumiu o papel de chefe de criação da divisão de artigos de couro e, em 2005, acumulou a posição de chefe de criação do ready-to-wear feminino. Em 2006, ela se tornou diretora criativa.

A Kering afirma em seu comunicado oficial que Frida “trouxe a marca completamente para a visão do fundador da grife, equilibrando a autoridade de moda da Gucci com suas raízes artesanais. Desde o começo, ao mesmo tempo em que empurrava a marca na direção do seu lado fashion, Frida Giannini deu nova vida a ícones da grife, trazendo a herança da Gucci ao presente e ao futuro”.

“Sou verdadeiramente agradecido a ela por suas conquistas, sua criatividade e a paixão que ela sempre incutiu em seu trabalho”, diz o presidente e CEO da Kering, François-Henri Pinault.

Gucci Presents The Restoration Premiere Of "Rebel Without A Cause" At LACMA

Sobre Patrizio di Marco, Pinault declara: “A grande performance conquistada pela Gucci durante a sua gestão é uma prova de seu sucesso. Sua visão estratégica, paixão, dedicação e carisma foram chave para trazer a Gucci aonde ela está hoje. Quero agradecê-lo calorosamente e desejar a ele o melhor em seus futuros empreendimentos”.

Tudo parece normal e muito profissional mas as mudanças são resultado das mudanças  em um momento delicado na trajetória da Gucci.

A empresa, fundada em 1921 como fabricante de bolsa e outros artigos de viagem, registrou no ano passado um faturamento de € 3,56 bilhões (R$ 11,7 bilhões), porém, suas vendas vêm sofrendo uma desaceleração visível, sem crescimento em 2013 e com uma queda prevista para este ano. A estratégia de aumento de preços, implementada por Patrizio di Marco, é apontada por alguns especialistas como a responsável por esses números.

A marca também sofre com a desaceleração do mercado chinês, onde estão os principais consumidores de produtos de luxo atualmente no mundo, e com a concorrência de grifes que adotaram uma política de preços mais acessíveis, como Michael Kors. Sem esquecer o contexto político em Hong Kong e até da crise na Rússia, que também tiveram impacto nos resultados da marca.

No entanto, o que mais preocupa os especialistas do setor, é que, assim como Louis Vuitton no grupo LVMH, Gucci representa a principal fonte de renda do conglomerado Kering, que também detém as grifes Saint Laurent, Balenciaga e Puma. A marca italiana representa mais da metade dos lucros do grupo.

A cotação de Kering perdeu 2,01% na bolsa de Paris após o anúncio da saída de Frida Giannini e Patrizio di Marco.

Na cabeça: sair da área de conforto faz parte da vida inclusive dos negócios. Só pra lembrar a proposito, Frida e Patrizio são casados e tem uma filha, arriscar é viver sempre!!!!

Anúncios

1 comentário

Arquivado em ícone, comportamento, negócios, visual merchandising

Uma resposta para “Gucci: saída da diretora criativa Frida Gianini

  1. Fanny parabéns por ter voltado.
    Abraços Henrique.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s